Estudo dirigido sobre - MÚSCULOS DA CABEÇA

(tenha à mão o livro Anatomia Facial com Fundamentos de Anatomia Geral, 3ª Edição)

Um pouco a respeito da anatomia dos músculos da cabeça você já conhece, por causa do estudo dos ossos, que providenciam áreas para as conexões musculares e que já foram mencionadas. Vamos enfocar especificamente os músculos que fazem parte daquele rol de assuntos essenciais, que catalogamos como “conteúdo mínimo indispensável”, ou seja, os de maior importância odontológica.

Esperamos que você já tenha estudado o assunto, na teoria e na prática, e estará agora acrescentando um algo mais ao seu conhecimento.

Acompanhe o estudo, tendo à mão o livro com seus textos e figuras às páginas 90 a 112. Se for possível, tenha ao lado cabeça(s) dissecada(s) e/ou modelos e desenhos ou fotos.

Responda digitando as respostas nos espaços em branco, depois passe o cursor sobre o sinal de interrogação (?) ao lado para conferir e comparar sua resposta.


Comecemos pelos músculos da expressão facial, mas somente os peribucais. Reconheça na peça anatômica (ou no atlas), os músculos levantador do lábio superior e da asa do nariz, levantador do lábio superior, zigomático menor, zigomático maior, risório, bucinador, abaixador do ângulo da boca, abaixador do lábio inferior e mentoniano.São todos eles músculos dilatadores da boca, isto é, separam os lábios para que os dentes se tornem aparentes.

O único músculo peribucal de ação inversa é o orbicular da boca, que recheia os lábios e circunscreve o orifício bucal. Tal como o orbicular do olho que aproxima as pálpebras e cerra os olhos, o orbicular da boca contrai os lábios e reduz a rima bucal. Assobie e veja no espelho a forma adotada por seus lábios pela ação do músculo em questão.

Todos os demais músculos mencionados originam-se em áreas ósseas distantes dos lábios, mas convergem seus feixes de fibras para eles e se inserem entrelaçando-os com as fibras do orbicular da boca. Eles dispõem-se de maneira radiada em torno da boca para poder afastar os lábios e abri-la em todas as direções. Analisemos um a um começando pelo bucinador, que é o mais forte de todos. Sua origem é a seguinte:

Resposta
Processos alveolares da maxila e da mandíbula na região molar e ligamento pterigomandibular.

Procure identificar bem sua origem. Repare depois (ou agora, se for o caso), na peça anatômica, que a fixação em um lado do ligamento pterigomandibular é contrabalanceada pela fixação do músculo constritor superior da faringe, no lado oposto. Dessa forma, as paredes da boca e da faringe se continuam, como deve ser em um tubo alimentar que é único. Note que ambos os músculos ficam medialmente ao ramo da mandíbula, onde se situa o forame da mandíbula com o nervo alveolar inferior. Portanto, para se anestesiar esse nervo, a agulha tem que atravessar um dos dois músculos. Ela atravessa o ?m. bucinador. Somada a essa origem ligamentar, há ainda as origens ósseas do bucinador, o que dá no total uma enorme fixação de vários centímetros. Além desse fato, há outros que demonstram o seu grande poder de força: grande quantidade de fibras, que lhe confere espessura e feixes de fibras trançados e não paralelos, característica de um músculo de força. O interessante é que um músculo forte assim, não tem inserção óssea, não movimenta osso. Por quê, então, esse músculo da expressão facial é tão forte assim?

Resposta
É forte porque a compressão da bochecha de encontro aos dentes requer força e o mesmo acontece com a retração forçada do ângulo da boca, além do que ele é o único músculo que a realiza esses movimentos.


Faça você uma movimentação bastante forte e comprove isso.

Para retrair o ângulo da boca concorre também o músculo risório. Mas é tão fraquinho que quase não conta. Só produz movimentos leves.

Outro músculo razoavelmente forte é o mentoniano. Curto, porém espesso. Toma origem na ?fossa mentoniana e inserção na ?pele do mento. Quando em repouso ele é arqueado, contraído torna-se reto. Ao tornar-se reto, diminui a profundidade do ?fórnice do vestíbulo e movimenta o lábio inferior para ?movimenta o conjunto do lábio superior (não a borda livre) para cima.

Já que não existem músculos levantadores do lábio inferior, o mentoniano supre essa função. Ele faz força na raiz do lábio e não na borda livre, que ele não alcança. Esta tende a “cair”, como se a pessoa estivesse fazendo beicinho ou cara de desprezo. É a chamada eversão (para baixo) do lábio.

No entanto, o músculo que verdadeiramente provoca uma queda vigorosa de todo lábio é o ?abaixador do lábio inferior. Fica mais para baixo e um pouco de lado do mentoniano, com uma origem em linha. Cada um dos dois músculos agarra o lábio, de seu lado, e o deprime poderosamente. Nessa função ele é ajudado pelo músculo ?abaixador do ângulo da boca, cuja linha de origem é mais inferior ainda. Com isso, ao subir para se prender no ângulo da boca, ele cobre parcialmente o abaixador do lábio inferior.

Assim como o ângulo da boca pode ser abaixado, pode também ser levantado por um músculo próprio, o ?levantador do ângulo da boca. É um pequeno músculo vertical que tem origem na ?fossa canina. De todos, é o mais difícil de ser visualizado na peça dissecada porque ele fica encoberto por outros músculos.

Dois deles são os zigomáticos. O zigomático maior fica imerso no tecido adiposo da tela subcutânea da face, superficialmente ao bucinador, o qual recobre parcialmente. Estende-se do ?corpo do osso zigomático, sua origem, até o ?ângulo da boca, sua inserção. Inspecione na s figuras 4-4, 4-5 e 4-6 e na peça anatômica , se for o caso, a direção de suas fibras e depreenda entenda (perceba) que o único movimento possível que ele realiza ao se contrair é a tração do ângulo da boca e em direção ao osso zigomático. Provoque a ação desse músculo em você, e perceba que o ângulo da boca é puxado para cima e para trás.

O zigomático menor costuma ser unido ao músculo levantador do lábio superior. Apesar das origens diferentes, ambos se inserem no ?lábio superior e realizam um movimento único. O mesmo movimento de elevar o lábio superior é também feito pelo músculo ?levantador do lábio superior e da asa do nariz, uma longa fita que do osso ?frontal se dirige ao lábio superior, mas com algumas fibras deixando seu trajeto para se inserirem na asa do nariz.

Se você completou seu estudo até aqui, com sucesso, não terá dificuldade em responder as perguntas que vêm a seguir. Asserção significa...

Instruções:

Digite no espaço em branco com letras de A a E, de acordo com o seguinte código:

A – Asserção correta, razão correta, justificando a asserção
B – Asserção correta, razão correta, porém não justificando a asserção
C – Asserção correta, razão incorreta
D – Asserção incorreta, razão correta
E - Asserção e razão incorretas.

Confira sua resposta clicando no sinal de interrogação (?)


?A O lábio superior não pode ser abaixado com vigor porque ele não possui músculos abaixadores.
?E O lábio inferior não pode ser elevado porque nenhum músculo realiza esse movimento.
?E O ângulo da boca é local de pouca inserção muscular porque somente o levantador e o abaixador do ângulo da boca nele se inserem.
?B O músculo bucinador pode interferir com a estabilidade de próteses totais porque tem origem na (no ligamento) prega pterigomandibular e possui grande capacidade de força.
?E O músculo mentoniano nunca interfere com a estabilidade de próteses totais porque sua origem fica muito distante das bordas das mesmas.
?E O músculo abaixador do lábio inferior não pode ser visualizado em peças dissecadas porque ele é totalmente recoberto pelo abaixador do ângulo da boca.
?E Os dois músculos da questão anterior realizam movimentos iguais porque as direções de suas fibras são iguais.
?B O músculo bucinador tensiona ou mantém tensa a bochecha porque ele retrai vigorosamente o ângulo da boca.

Continue munido de preparações anatômicas (dissecções, modelos e figuras) de seu material de estudo sobre músculos da mastigação e supra-hióideos e acompanhe o próximo texto.

Os quatro músculos da mastigação são também chamados de músculos mandibulares em uma clara alusão ao fato de todos eles se inserirem na mandíbula e a moverem. Os músculos supra-hióideos não podem ser assim chamados porque um deles, o músculo ?estilo-hióideo não se insere na mandíbula.

Os sete músculos que se fixam na mandíbula movimentam-na para todos os lados. Os que se situam acima de seus pontos de inserção na mandíbula a elevam; aqueles que estão atrás de seus locais de inserção a retraem. Ela desloca-se para frente por ação dos músculos que estão à frente de suas próprias áreas de inserção. Todavia, a mandíbula não é abaixada a poder de músculos que se situariam abaixo de seus pontos de inserção. No movimento de lateralidade acontece o mesmo.
Então, de que modo a mandíbula é movimentada de lado e para baixo? Resposta:

Resposta
Lateralmente pela contração de um dos dois pteridóideos laterais e para baixo pela contração simultânea de ambos os pterigóideos laterais e ambos os digástricos.


Se você respondeu satisfatoriamente está ótimo. Caso contrário volte para o livro , páginas 101 a 106 e também 140 a 144, e siga depois este estudo.

O movimento de elevação da mandíbula requer músculos possantes, que realizem a oclusão dos dentes para o corte e trituração dos alimentos. É uma elevação forçada, sob resistência, que demanda uma musculatura desenvolvida. A natureza providenciou não apenas um músculo forte para essa função, mas três músculos: o ?masseter, o ?temporal o ?pterigóideo medial.

Todos eles localizam-se acima de seus locais de inserção mandibular.

O temporal fica bem acima, pois ele se insere por tendões nas bordas e na face medial do ?processo coronóide, mas seu enorme ventre cárneo está além da mandíbula, além do arco zigomático, bem acima. Ele ocupa a ?fossa temporal, de cujo assoalho se origina. A fáscia temporal também lhe providencia origem na sua face ?medial

A porção mais superior do masseter (origem no osso e arco zigomático) também é mais alta que a porção inserida em quase toda a superfície lateral do ?ramo da mandíbula.

O mesmo acontece com o pterigóideo medial, que vai da ?fossa pterigóidea (inserção) até o lado de dentro da região do ?ângulo da mandíbula

Para a mandíbula se deslocar para trás, dois músculos agem concomitantemente. Um no alto (processo coronóide) e outro em baixo (base da mandíbula). O de baixo é o ?digástrico, cuja extremidade anterior se insere na ?fossa digástrica e todo o restante do músculo (que não é pouco!) fica atrás da inserção. Claro, para poder puxar para trás. O de cima são as fibras horizontais do músculo ?temporal, que têm sentido horizontal atrás do seu campo de inserção. Portanto, ambos os músculos produzem o movimento de ?retrusãoda mandíbula.

Os dois músculos ?pterigóideos laterais ficam à frente de sua área de inserção que é a fóvea ?pterigóidea. Portanto, eles tracionam a mandíbula para ?frente, no chamado movimento de ?protrusão

A ação dos músculos milo-hióideo e gênio-hióideo (também ficam atrás da inserção quando esta é na mandíbula) sobre a mandíbula é pouca. Ao se ancorarem no pequeno osso hióide para movimentar a mandíbula, eles até conseguem algum êxito. Servem como coadjuvantes no movimento de retrusão e de abaixamento da mandíbula.

E por falar nisso, se você não respondeu bem aquela primeira questão, sobre abaixamento e lateralidade da mandíbula, faça uma revisão no livro para deixar o assunto bem estudado.

E agora, aquelas perguntinhas de asserção e razão que você tanto gosta

Instruções:

Digite no espaço em branco com letras de A a E, de acordo com o seguinte código:

A – Asserção correta, razão correta, justificando a asserção
B – Asserção correta, razão correta, porém não justificando a asserção
C – Asserção correta, razão incorreta
D – Asserção incorreta, razão correta
E - Asserção e razão incorretas.

Confira sua resposta clicando no sinal de interrogação (?)


?D O músculo gênio-hióideo tem grande poder de retração da mandíbula porque se insere no corpo do osso hióide.
?B Além de elevar a mandíbula, o músculo temporal também consegue retraí-la porque seu ventre cárneo situa-se acima de sua área de inserção.
?B O músculo pterigóideo lateral age na maior parte dos movimentos da mandíbula porque ele possui duas partes (feixes, cabeças) que se inserem na fóvea pterigóidea e na cápsula e disco da ATM.
?A A ação muscular na abertura da boca é um bom exemplo de sinergismo porque o pterigóideo lateral e o digástrico ealizam funções diferentes, mas que juntas (ao mesmo tempo) concorrem para uma ação integrada que faz a mandíbula descer.
?A O músculo pterigóideo medial assemelha-se ao músculo masseter porque também é potente (músculo de força), tem o mesmo sentido das fibras e realiza a mesma função.
?C As fibras posteriores, horizontais, do músculo temporal são sinérgicas do músculo digástrico porque ambos concorrem (se somam) para a realização do movimento de protrusão da mandíbula.
?A A fáscia temporal tem mais que uma função porque ela age como uma aponeurose em relação à origem do músculo temporal e também porque ela age na sustentação do arco zigomático.
?C A parte profunda do músculo masseter é mais curta que a parte superficial porque ela desempenha uma função contrária.

©Copyright 2017 anatomiafacial Todos os direitos reservados